segunda-feira, 22 de maio de 2017

Encantos noturnos

Me deito
e deleito,
da escuridão que nos cerca, envolve
e protege.
sonhos, pensamentos, ideias e sussurros
nos acalenta?
nos aflige?
surpreende!
Desde os remotos tempos,
onde a vacilante luz do fogo
que ecoa e ilumina,
ternuriza e eterniza seus encantos.
Brilha distante
sobre nossas cabeças,
galaxias, estrelas e nebulosas.
Povoa e entoa primórdias perguntas:
De onde viemos?
Para onde vamos?

(incompleto)

22/05/2017



domingo, 24 de maio de 2015

do macro ao micro... do micro ao macro ...Cosmos!

carina nebula by hubblesite



"Desde muito pequena aprendi com minhas ancestrais que o conhecimento do mundo só chegaria a mim, se exercitasse a cada minuto o olho da alma, se conseguisse ultrapassar o objeto e nele enxergasse a sua verdadeira essência, o seu sentido pleno e seu coração pulsante. Somente assim, enxergando em plenitude, poderia transcender a mesmice cotidiana e estilhaçar-me em infinitas estrelas. Somente no momento em que percebesse que cada elemento disposto no mundo possui sentido e finalidade mágicos..." 

(Frazão, Márcia - O Gozo das Feiticeiras)

segunda-feira, 18 de maio de 2015

O Olhar...

O olhar...suas imagens, seus encantos, suas impressões, o quê descola da nossa retina e nos preenche com sensações, das mais diversas possíveis, despertados por este poderoso gatilho, a fotografia nos convida a exercer o olhar de outrem, imergindo na força pictórica do seu registro e das suas referencias, convergindo bruscamente para nossas memórias e experiências.
Este textinho foi inspirado pela exposição Raízes da fotografa e amiga Natália Reis.
Foto by Natália Reis

segunda-feira, 16 de março de 2015

Meu querido "Inferno Astral"

Querido "Inferno Astral",

Sei que a partir desta presente data vc se aproxima mais uma vez de mim e tenta me mostrar uma série de nuances energéticas / situações que conseguem me deixar irritada, nervosa e impaciente, mas que são para o meu melhor conhecimento e meu maior aprendizado, eu sei, no fundo eu sei ;).
Juro que me esforço a cada ciclo para sentir você de forma mais amena, mas tem ciclos que vc vem numa euforia parecendo um vendaval, me colocando de pernas pro ar e me deixando sem fôlego; minha essência é apaixonada, mas prefiro evitar seus arroubos insanos, nada contra, mas prefiro lidar com vc como se fosse uma manhã de outono, suave...
Agradável outono que adentraremos em breve, por favor considere isso como um pedido amoroso <3 p="">Sempre seremos um! ;)
Você se fazendo presente desde o começo e eu em contagem regressiva pelo seu término, um amor declaradamente platônico (pelo menos da sua parte)!
Feito gato e rato, correndo um atrás do outro...continuamos a nos encontrar a cada ciclo...seja leve por favor...seja tranquilo...saberei retribuir...serei grata...os últimos meses foram intensamente puxados, até parecem que vieram te prenunciando...rs, tá vendo?! Vc veio de mansinho e nem avisou, né? Safadinho...quis me ludibriar num foi?!
Bom, deixo aqui registrado o meu carinhoso pedido para ser avaliado e considerado por ti!

Saudações astrais!

Beijos Marcianos,

Erica T.


sábado, 14 de março de 2015




Planta Pés

Eles me levam...eles me trazem...por mais incertos que sejam os caminhos, se mantem firmes a cada passo, aos tropeços me ensinam os valores de cada pedra topada pelo caminho...nas notas musicais se sentem estimulados a rodopiar e trilhar caminhos mais suaves! É possível ser delicado e forte, firme e suave, seguindo assim no compasso da vida, vamos em frente porque caminhar se faz necessário.
(dezembro de 2014)

terça-feira, 3 de março de 2015

Quando as lágrimas secam

Quando as lágrimas secam
E você se sente vazia...
A tristeza ainda se faz presente,
ela está lá.
O que mudou?
A tristeza tem faces
E nos seus referido momentos ela se apresenta:
a criança chorona,
a moça que vela
E a senhora que a distância, aceita.
No momento que as lágrimas secam,
presencia a sabedoria da senhora,
que não reza mais como a moça em busca do entendimento,
ela só observa e aceita.
O momento que se faz presente,
o ciclo que não é perene.
A vida que a cada momento
Se transforma num sentimento!

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Dos presentes que se recebem diurnamente - tranças

"A minha avó dizia-me que quando uma mulher se sentisse triste, o melhor que podia fazer era entrançar o seu cabelo; de modo que a dor ficasse presa no cabelo e não pudesse atingir o resto do corpo. Havia que ter cuidado para que a tristeza não entrasse nos olhos, porque iria fazer com que chorassem, também não era bom deixar entrar a tristeza nos nossos lábios porque iria forçá-los a dizer coisas que não eram verdadeiras, que também não se metesse nas mãos porque se pode deixar tostar demais o café ou queimar a massa. Porque a tristeza gosta do sabor amargo.
Quando te sintas triste menina- dizia a minha avó- entrança o cabelo, prende a dor na madeixa e deixa escapar o cabelo solto quando o vento do norte sopre com força. O nosso cabelo é uma rede capaz de apanhar tudo, é forte como as raízes do cipreste e suave como a espuma do atole.
Que não te apanhe desprevenida a melancolia minha neta, ainda que tenhas o coração despedaçado ou os ossos frios com alguma ausência. Não deixes que a tristeza entre em ti com o teu cabelo solto, porque ela irá fluir em cascata através dos canais que a lua traçou no teu corpo. Trança a tua tristeza, dizia. Trança sempre a tua tristeza.
E na manhã ao acordar com o canto do pássaro, ele encontrará a tristeza pálida e desvanecida entre o trançar dos teus cabelos…"
Registo da antropóloga Paola Klug, Fotografia tirada na Nicarágua por Candelaria Rivera, do ensaio fotográfico: "Amor de Campo"
presente recebido por Leu Couto